Charles Taze Russell adorava a Jesus?

1
494

Veja o que o próprio Charles Taze Russell pensava sobre “adorar” a Jesus.

Essa é uma citação em inglês, escrita diretamente pelo irmão Russell da obra Studies in the Scriptures

Colocamos os prints originais e mais abaixo a tradução. 

 

 

    

A expiação

 “ADORARÁS O SENHOR TEU DEUS E A ELE SOMENTE SERVIRÁS”

–  MAT 4:10 –

            É aclamado por alguns que o fato de nosso Senhor Jesus ter recebido adoração sem censura significa que ele é JEOVÁ. As palavras de nosso Senhor supostamente implicariam que seria errado que qualquer outro ser exceto Jeová recebesse adoração. Respondemos: não tão rápido! Interpretar tais palavras desse modo é dar-lhes um sentido que não possuem, e torná-las contraditórias aos ensinos de outras passagens bíblicas.  O decreto de Jeová com respeito a Cristo, ‘Tu és meu Filho, neste dia te gerei’, já havia sido registrado pelos profetas; e também o seu decreto, “Que todos os anjos de Deus o adorem.” ( Sal 2:7; 97:7; Heb 1:5, 6) Nosso senhor Jesus sabia disso. Ele também sabia que mensageiros angélicos de Jeová no passado haviam sido adorados como representantes de Jeová; e que ele mesmo era o mensageiro principal, o Filho Unigênito, o “Mensageiro do Pacto,” a quem o Pai havia santificado e enviado ao mundo: ele sabia que consequentemente que o honrasse honrava o Pai também.

            De fato, as próprias palavras dele foram: “Aquele que não honrou o Filho não honrou o Pai que o enviou.” – João 5:23; Mal 3:1.

            A palavra grega traduzida adoração do Novo Testamento é proskuneo, que significa “beijar a mão,” como um cão que lambe a mão de seu dono. O significado é reverência.

            A palavra hebraica vertida por adoração no Antigo Testamento é shaw-kaw, e significa curvar-se. O significado é reverência. A palavra ocorre 170 vezes e apenas aproximadamente a metade desse número se refere a adoração Deus. Mas tal fato é escondido do leitor de língua inglesa por 74 vezes ter sido vertido como curvar-se, dobrou-se, fez reverência, fez gentileza, etc., quando se refere à homenagem a nobres seres terrestres. Nós daremos exemplos: – [fim da primeira página].

O Autor da expiação. 73

Abraão “curvou-se [shaw-kaw] para o chão, e disse. Meus Senhores [Adonai]… Deixe um pouco de água ser buscado e lavem-se seus pés. E descansem sob a árvore. “Essas palavras e atos eram enquanto ele os considerava meramente” homens “. – Gênesis 18: 2-4.

Ló “curvou-se [shaw-kaw ‘] para dois dos mesmos – três.-Gen. 19: 1.

Abraão “curvou-se [shaw-kaw ‘] para o povo de Canaã-Gen. 23: 7, 2.

Isaque abençoou Jacó, dizendo. “Que as nações se curvem [shaw-kaw] para ti … e que os filhos de tua mãe se curvem [shaw-kaw] para ti.” – Gên. 27:29.

“Davi inclinou-se e curvou-se [shaw-kaw] para a terra” ao rei Saul. – 1 Sam 24: 8

Abigail “inclinou-se [shaw-kaw] para o chão” para David; E novamente aos representantes de Davi – 1 Sam. 2 5:

A mulher de Tecoa “caiu sobre seu rosto. . . e. Fez reverência [shaw-kaw] ao rei Davi. Joabe e Absalão fizeram o mesmo. Traduzido “se apresentou [shaw-kaw]”. – Sam. 14: 4, 22, 33.

“Quando Mefibosete. . . Veio a Davi, caiu em seu rosto e fez reverência [shaw-kaw]. ” – 2 Sam. 9: 6.

A partir dessas evidências, ficará claro para todos que a proibição do Primeiro Mandamento – “Não te curvarás a eles nem os servirás”, não foi entendida, não deve ser entendida como uma proibição de reverência, homenagem, etc., aos honrados, ou aos que ocupam posições honradas entre os homens. Nem os judeus cometeram erro em fazer reverência [shaw-kaw] aos anjos que vieram com mensagens no nome de Jeová e reconhecendo-o. E tal reverência foi sempre aprovada – nunca reprovada. O Mandamento alerta contra a adoração de imagens ou qualquer adoração de deuses rivais. Isto Jeová não pode tolerar! Daí não havia nenhuma impropriedade para qualquer judeu que reconheceu Jesus como o “Enviado de Deus” para fazer-lhe reverência, obséquio; E muito mais apropriado é para todos aqueles que reconhecem nosso Senhor Jesus de acordo com suas reivindicações – como o Filho de Deus.

O Autor da expiação 74

            Na verdade, podemos estar certos de que aqueles fariseus que pegaram pedras para matar nosso Senhor, porque ele se declarou Filho de Deus, teriam ficado demasiadamente furiosos, e não apenas teriam apedrejado nosso Senhor Jesus, mas também os adoradores dele, alegando idolatria, se, como povo, tivessem cogitado um conceito tão extremo de adoração, reverência (proskuneo), conforme é cogitado por aqueles cujos conceitos extremos com respeito a esta palavra nós estamos combatendo e temos provado errôneos.

            Exceções a essa liberdade seriam em casos onde o homem a quem a reverência, o obséquio ou adoração são prestados é um representando reconhecido de um deus falso – tal como um pseudoCristo ou falso Cristo – um anticristo. As homenagens aos Papas, cremos nós, estariam sob este conceito de adoração falsa; pois em seu ofício ele alega falsamente ser “Cristo Vice Gerente”. Foi sobre esse embasamento que nosso Senhor Jesus recusou reconhecer a Satanás e seu poder no mundo. Foi um real poder civil intencionalmente oposto às leis de Jeová. Assim, a proposta de não se opor ao mal, por respeitar e reverenciar os costumes malignos já estabelecidos sob o domínio de Satanás, Satanás iria cooperar com nosso senhor no estabelecimento de seu reino, foi imediatamente rejeitada e a resposta evidenciada – Estou plenamente de acordo com Jeová Deus e, portanto, de pleno acordo com sua declaração profética: “Deves reverenciar a Jeová, teu Deus, e a ele servirás” – “e visto que você é o oponente deliberado D’ele, não posso dar nenhuma reverência nem a você e nem aos seus métodos, nem poderia eu servir a sua causa ou cooperar com você. Nossas causas são distintamente separadas. Não vou ter nada que ver contigo. – Compare Mat 4:10 ; Deu 10:20, 21.

            Caso nosso Senhor Jesus tivesse se colocado como rival a Jeová, ao invés de seu Filho e servo, qualquer homenagem a ele teria sido desrespeitosa para com o Pai e teria sido pecaminosa – idólatra. No entanto, ao contrário, enquanto aceitava homenagem e reverência como o Filho de Deus, ele declarou mais positivamente e publicamente, – “O Pai é maior que eu,” e ensinou seus discípulos a fazer petições ao Pai, dizendo: “Tudo que vós pedires ao Pai em meu nós, ele dará a vós”.

Um comentário

Deixe uma resposta

Escreva seu comentário
Por favor, entre com seu nome aqui