Refutação a Airton Evangelista da Costa

0
31

Refutação a Airton Evangelista da Costa

         Vou colocar o argumento do referido pastor e depois refutá-lo ponto a ponto:

 

Imagem relacionada
Pastor Airton

APOLOGÉTICA – A Bíblia das Testemunhas de Jeová
Revela a Divindade de Jesus – II
– Pr Airton Evangelista da Costa

       É paradoxal, mas é verdade. A Tradução do Novo Mundo das Escrituras Sagradas (TNM) das Testemunhas de Jeová, uma versão especial da Bíblia, contém versículos que atestam de forma inequívoca a divindade do Senhor Jesus Cristo e do Espírito Santo. Vejamos:

     “Eu e o Pai somos um” (Jo 10.30 – TNM).

     Ao entenderem muito bem essa declaração inequívoca de divindade, os judeus tentaram apedrejar Jesus (v. 31): “Não te apedrejamos por alguma obra boa, mas pela blasfêmia; porque, sendo tu homem, te fazes Deus a ti mesmo” (v. 33). Jesus aceitou essa interpretação ao dizer: “Àquele a quem o Pai santificou, e enviou ao mundo, vós dizeis: Blasfemas, porque disse: Sou Filho de Deus? Se não faço as obras de meu Pai, não me acrediteis. Mas, se as faço, e não credes em mim, crede nas obras; para que conheçais e acrediteis que o Pai está em mim e eu nele” (vv. 36-38).

 

A Verdade é Lógica:

         Resposta: Errado. A declaração “Eu e o Pai somos um” não prova em nada que eles sejam o mesmo Deus, pois “o Pai”, mencionado aqui, é aquele que os judeus entendiam como sendo plenamente o Deus Supremo, não apenas uma pessoa que compõe Deus. Se  há algo que esse texto prova, é que Jesus não é o mesmo Deus que o Pai. Como assim? É simples: Deus + 1 pessoa é biteísmo, não trinitarismo. [Leia todo o contexto e perceba que “Deus” e “o Pai” são absolutamente correspondentes, tanto vindo de Jesus quando dos fariseus]. Jesus explicou em qual sentido ele é 1 com o Pai:

(João 17:22) “Eu lhes dei a glória que tu me deste, a fim de que eles sejam um, assim como nós somos um.” [Para uma análise mais profunda desse versículo, leia este artigo]

        Os judeus entenderam perfeitamente que, a fim de que Jesus pudesse fazer tal declaração, ele não poderia ser um mero humano. Os judeus conheciam perfeitamente a união que a expressão “ser um” representa.

(Gênesis 2:24) “Por isso é que o homem deixará seu pai e sua mãe e se apegará à sua esposa, e eles se tornarão uma só carne.”

         Os judeus sabiam que, assim como apenas um humano pode “ser um” com outro humano, assim também apenas um deus poderia “ser um com o Deus“. Claramente, “ser um com o Pai” indica união em obras, propósito, harmonia, aproximação, não que sejam o mesmo Deus, pois Jesus comparou o modo como ele e o Pai são 1 com o modo como os discípulos deviam ser 1.

         E se isso provasse algo, o Pai e o Filho estariam praticando bullying com o espírito santo. Pois, porque somente o Pai e o Filho são 1, mas o espírito santo não?

         Os judeus não entenderam que tal declaração indicaria que Jesus é o mesmo Deus que o Pai. Como sabemos disso? Pela resposta de Jesus. Note que quando os judeus acusaram Jesus de blasfêmia, em vez de citar Jeová ou o Pai como sendo “Deus”, Jesus cita outros seres que não são Jeová como sendo “deuses”. Só que o pastor Airton não citou isso, pulou isso, no seu argumento. Curioso, não acham?

(João 10:34-36) “Jesus lhes respondeu: “Não está escrito na sua Lei: ‘Eu disse: “Vocês são deuses”? Se aqueles contra quem se dirigiu a palavra de Deus foram chamados de ‘deuses’ — e as Escrituras não podem ser anuladas —, vocês dizem a mim, a quem o Pai santificou e enviou ao mundo: ‘Você blasfema’, porque eu disse: ‘Sou Filho de Deus’?

         Aqui fica claro que, ainda que os judeus tivessem pensado errado de Jesus, o messias corrigiu o pensamento dos judeus, citando outros seres que não são o mesmo Deus que o pai, mas que são chamados de “deuses”. Assim, Jesus alega ser “um deus“, não o Próprio Deus. (Assistam neste link a um vídeo que fizemos sobre este relato)

 

Imagem relacionada
Pastor Airton

O pastor Airton continua:

Notem que a expressão “sou Filho de Deus” é equivalente a “Eu e o Pai somos um” e a “o Pai está em mim e eu nele”.

Vejam como o versículo 33 está na Tradução do Novo Mundo:

“Nós te apedrejamos, não por uma obra excelente, mas por blasfêmia, sim, porque tu, embora sejas um homem, te fazes um deus”. A TNM confirma ser Jesus “o Filho de Deus” (v. 36).

O Senhor Jesus não declarou ser um “um deus” [leia a resposta de Jesus, pastor Airton!] menor que Jeová, um deus dentre muitos deuses pagãos. [Falácia do Espantalho] Declarou ser IGUAL a Jeová [Mentira!], semelhante a Jeová.”

 

A Verdade é Lógica

        Claramente, pela resposta de Jesus, ele disse ser “um deus” no sentido enviado, assim como eram enviados aqueles que foram chamados de “deuses”.

     (João 10:36) “vocês dizem a mim, a quem o Pai santificou e enviou ao mundo: ‘Você blasfema’, porque eu disse: ‘Sou Filho de Deus’?”

        Como poderia Jesus alegar ser “igual ao Pai” se, na própria resposta que deu, ele alegou ter sido santificado e enviado pelo Pai? Note que o pastor alegou que Jesus disse ser igual a Jeová, mas depois disse ser semelhante a Jeová. Peraí… afinal, Jesus é “igual” ou “semelhante” a Jeová? Mas Jesus não é Jeová? Se Jesus é o próprio Jeová, como pode ele ser “igual” a Jeová? Afinal, ele é o próprio Deus (trindade e unicismo) ou igual a Deus (biteísmo)?

 

 

Imagem relacionada
Pastor Airton

O pastor Airton argumentou ainda:

      Tão iguais e semelhantes que formam uma unidade. Ora, Jeová jamais formaria uma unidade com um deus apequenado [falácia do espantalho], sem os atributos próprios da divindade. O Senhor Jesus declarou que possui os mesmos atributos do Pai: onisciência, onipresença, onipotência, imutabilidade, eternidade. [Mentira!]

 

A Verdade é Lógica:

         Estou começando a achar que o pastor Airton nem ao menos entende a doutrina que defende. Isso que o pastor está defendendo não é Trindade nem Unicismo, mas Biteísmo: Dois Deuses plenamente iguais. (Para saber mais, leia este artigo) Dizer que Jesus é igual a Jeová é biteísmo – dois Deuses – não Trinitarismo. Ninguém é igual a Jeová. (Salmo 86:8) Na trindade, Jesus é igual ao Pai, não igual a Deus. Ou agora os trinitários não se referem a Deus quando falam “Deus”? Se alguém fosse igual a Deus – outro Deus igual – isso seria biteísmo, e Deus não seria Onipotente, pois haveria outro Deus igual a Ele. Jesus nunca afirmou ter os atributos do Pai.

  • onisciência Jesus não é onisciente, ele mesmo disse isso. (Marcos 13:32, Apocalipse 1:1);

  • onipresença Jesus não é onipresente, pois um ser onipresente não pode sair de um lugar onde está, assim como Jesus saiu mesmo após sua ressurreição. (João 20:17);

  • onipotência – Jesus não é onipotente, pois ele tem um Deus acima dele, a quem ele mesmo chama de “meu Deus”. (Apocalipse 3:12) Um ser onipotente não chama a ninguém de “meu Deus” – com pronome possessivo;

  • imutabilidade Jesus não é imutável. Pois ele “ele abriu mão de tudo que tinha, assumiu a forma de escravo e se tornou humano.” (Filipenses 2:7) Ele “se tornou carne” (João 1:14); Assim sendo, Jesus claramente sofre mudanças. Se sofreu mudanças, mudou. Se mudou, não é imutável. Os próprios trinitários afirmam que Jesus mudou quando dizem que ele ‘o Pai era maior que ele porque ele era humano’. (João 14:28) Ora, ainda que assim fosse, não seria isso uma mudança? Pode o imutável mudar?;

  • eternidade  A eternidade de Jesus é futura, não passada.

(Hebreus 13:8) “Jesus Cristo é o mesmo ontem, hoje e para sempre.”

       Perceba que esse texto de Hebreus diz que Jesus possui a eternidade futura, não passada. Esse texto não fala que Jesus não teve princípio, mas que ele não terá fim. Todos os textos que tratam da eternidade de Jesus na bíblia se referem ao futuro, nunca ao passado.

Imagem relacionada
Pastor Airton

O pastor Airton argumentou ainda:

Essa afirmação é semelhante à que ouviu Filipe:

“Disse-lhe Filipe: Senhor, mostra-nos o Pai, o que nos basta. Disse-lhe Jesus: Não crês tu que eu estou no Pai, e que o Pai está em mim? As palavras que eu vos digo não as digo de mim mesmo, mas o Pai, que está em mim, é quem faz as obras. Crede-me que estou no Pai, e o Pai em mim; crede-me, ao menos, por causa das mesmas obras”. (Jo 14.8-11 – Bíblia Sagrada). Vejamos os mesmos versículos na TNM:

 

A Verdade é Lógica:

          Afinal, o pastor Airton é trinitário ou unicista? Esse texto não suporta trindade, mas unicismo (se é que suporta alguma coisa do tipo). Quem vê a Jesus vê também o Pai porque Jesus é a representação de Deus, não o próprio Deus:


(Hebreus 1:3)
“Ele é o reflexo da glória de Deus e a representação exata do seu ser.”

        Jesus é a cópia exata de Jeová, o reflexo de sua glória [não o próprio Jeová], portanto, uma criatura, não o próprio criador. A palavra grega usada em Hebreus 1:3 para a expressão “representação exata” significa “cópia exata”. Portanto, sendo uma cópia de Deus, Jesus não pode ser o próprio Deus de quem é a cópia, mas apenas “um deus”. Veja as imagens abaixo:

Resultado de imagem para bíblia palavras chave

        Assim sendo, se Jesus é a representação exata de Deus, as pessoas podem muito bem olhar para Jesus e entender como Deus é, pois Jesus é o reflexo da glória de Deus, não o próprio Deus do qual ele reflete a glória e a quem representa. Por tal razão, Jesus pôde dizer francamente a Filipe: “Quem me tem visto, tem visto também o Pai“. O mais engraçado nisso tudo, no entanto, é: Por que razão quem vê a Jesus vê o Pai também, mas não vê o espírito santo? Ou agora o espírito santo é menos Deus que o Pai e o Filho, senhor Airton? Cuidado, senhor Airton, esse bullying que vocês fazem com o espírito santo pode ser imperdoável. (Lucas 12:10)

Deixe uma resposta

Escreva seu comentário
Por favor, entre com seu nome aqui