Por que não refutamos ex-membros?

0
36

Por que não refutamos ex-membros?

       Para começarmos esse artigo, façamos primeiro uma elucidação semântica sobre o que tencionamos ao mencionar “apóstata”. O Apologista da Verdade fez uma definição bem clara, a qual eu gostaria de citar aqui:

A palavra “apostasia” é originária do verbo grego afístemi, que significa “afastar-se”, “separar-se”, “apartar-se de”. Essa palavra ocorre em Atos 21:21 e em 2 Tessalonicenses 2:3. Apostasia e seus termos cognatos têm sido usados na Bíblia para referir-se à deserção da adoração verdadeira.
Contudo, ela não descreve apenas um afastamento passivo em relação ao povo de Jeová e aos conceitos defendidos por esse povo. Envolve também a adoção de um comportamento militante, de ataque ao povo de Jeová e às suas crenças. (Clique aqui para ler o artigo completo)

       A partir da definição feita acima, é a tais pessoas que nos referimos como “ex-membros”. Portanto, não nos referimos aqui nesse artigo a pessoas que simplesmente abandonaram a verdadeira adoração, mas aos militantes que nos atacam.

       Muitos vêm até o inbox em nossa página no Facebook colando links de vídeos de ex-membros e pedindo para que os refutemos. Irmãos, ISSO NÃO VAI ACONTECER.

       Por quê? Por que obedecemos à ordem bíblica de não nos associar com aqueles que foram desassociados. (1 Coríntios 5:9-13)

 

  • (Números 16:26) “[…] Afastem-se, por favor, das tendas destes homens maus e NÃO TOQUEM EM NADA DO QUE LHES PERTENCE, para que vocês não sejam destruídos por causa do pecado deles.”
  • (Romanos 16:17) ‘Eu os exorto agora, irmãos, a ficar atentos àqueles que causam divisões e dão motivos para tropeço contrariando os ensinamentos que vocês aprenderam; AFASTEM-SE deles.”
  • (2 João 10, 11) “Se alguém vier a vocês e não trouxer esses ensinamentos, não o recebam na sua casa, NEM O CUMPRIMENTEM. POIS QUEM O CUMPRIMENTA PARTICIPA DAS SUAS OBRAS MÁS.”

SERÁ QUE ‘TEMOS MEDO DELES’?

       Muitos ex-membros já vieram nos desafiar com insultos (os quais não são apropriados nem ao menos para que sejam transcritos aqui) para que ‘debatêssemos com eles’. Eles vêm com a mesma acusação de sempre: “Vocês tem medo de mim… correm de medo…“. Não temos medo.

       Eu não costumo assistir aos vídeos deles, mas já me deparei com casos em que peguei os argumentos deles, e TODOS OS ARGUMENTOS, sem exceção, TODOS são de nível COLEGIAL. Certa vez comecei a assistir a um vídeo (eu não sabia que era de um ex-membro), onde o rapaz pregava ódio às Testemunhas de Jeová (TJs). Ele começou a tentar justificar seu ódio por nós por comparar-nos a Hitler, ao Islã, à magia negra, dentre outros. Obviamente, na hora eu percebi que se tratava de uma FALÁCIA DA FALSA COMPARAÇÃO.

       Há algo que eu posso garantir a todos os que nos acompanham: basta que eu analise 1 minuto de um apóstata falando que já consigo fazer uma lista de:

1) Falácias lógicas;

2) Argumentos non sequitur;

3) Analfabetismo funcional (Os caras são intelectualmente limitados);

4) Descontextualização de declarações e citações;

5) Ódio obstinado… e a lista segue.

 

        No entanto, amados, não pensemos que podemos “testar a nossa fé”, indo ter com tais opositores. Assim como Satanás desviou humanos perfeitos e até mesmo anjos, eles podem usar mentiras bem contadas para desviar os incautos. O fato de eles não serem inteligentes não os torna infrutíferos. Portanto, evitemos sempre assistir aos vídeos deles e até mesmo comentar em suas páginas.

       Há pouquíssimos ex-membros que conheci que eram capazes de diferenciar o próprio nariz do umbigo. Certa vez um irmão (na época) me deu uma pesquisa que ele havia feito no CD-ROM da associação sobre “aniversários de casamento”. Ao me dar a pesquisa, ele disse que tinha entendido que era errado celebrar aniversários de casamento. Eu li cabalmente o artigo que ele me deu e percebi que ele não tinha entendido nada do que tinha lido. Ele era um legítimo analfabeto funcional. Houve um dia que ele fez um discurso e disse a seguinte frase: “Não precisamos cultivar humildade, pois já nascemos humildes“. Poucos anos depois, apostatou e montou sua própria igreja.

       Outro caso que presenciei foi de um jovem que visivelmente tinha distúrbios psíquicos. Ele era completamente “sem noção”. Fazia pose de intelectual, mas mal sabia ler direito. Os discursos bíblicos dele eram daqueles que você tapa seus próprios olhos por sentir profunda vergonha alheia. Não conseguia diferenciar o umbigo do nariz. Apostatou.

       Certa vez havia um irmão (na época) que era professor de inglês e que também servia como servo ministerial na congregação. Porém, digamos que ele não era muito dado ao trabalho. Era preguiçoso e vivia às custas da esposa.

       Ele queria trabalhar como tradutor no lugar que as TJs chamam de “Betel” – a sede gráfica. Os anciãos não o recomendaram como bom exemplo porque sabiam que ele era preguiçoso e não gostava de trabalhar.

       Por fim, esse sujeito se tornou inimigo das TJs e as ataca diariamente com ódio obstinado, inclusive torcendo na internet para que sejam violentadas e vibrando quando isso acontece. Ele vive obcecado pelas TJs. A vida dele gira em torno de seu ódio por nós. Ele vive agora com outra mulher. Já passou por várias religiões e atualmente ganha a vida sem trabalhar, conforme ele sempre quis, apenas fazendo palestras nas igrejas incitando ódio contra nós. Será que uma pessoa dessas é inteligente?

       Pessoas inteligentes não vivem para odiar o passado, mas olham para o futuro e fazem diferente. Quem vive de passado é museu. Essas pessoas se julgam “livres pensadores”, “libertos da Torre”, mas são, na verdade, obcecados, compulsivos, escravos daquilo que chamam de liberdade.

       Certa vez comecei a assistir a um vídeo (eu não sabia que era de um apóstata), onde o locutor citava uma revista nossa que mencionava que o resgate de Jesus beneficiava “especialmente os ungidos”. (Apocalipse 14:4) No entanto, após ler o parágrafo da revista, o locutor declama: “Viram só? Eles dizem que o resgate é somente para os ungidos”. Calma lá! O sujeito não é capaz de entender nem ao menos a diferença entre “especialmente” e “somente”! São esses os “intelectuais libertos da Torre”? Mais uma vez, apóstatas não são inteligentes.

       São raríssimos os casos de irmãos realmente inteligentes que se tornaram apóstatas. (Eu conheço somente 1 único caso, e é nos EUA) Mas esse mesmo caso, embora a pessoa seja inteligente, usa argumentos bobos, os quais ele mesmo refutava quando era TJ. No entanto, conheço inúmeros casos de pessoas que alegam ser intelectuais, e fazem pose de intelectuais (pseudo-intelectuais), que apostataram, mas que são extremamente intelectualmente limitados. Isso é a regra, não a exceção.

       (Apenas para ilustrar: certa vez eu comecei a debater com alguém pela internet sem saber que era um ex-membro. Ele se tornara ateu, e tentava dizer que “Jeová é mau”. Perguntei a ele se “o bem e o mal” existem, visto que não existe padrão supremo do bem e do mal num mundo sem Deus. Ele disse que “não”. Aí concluí: “Se o bem e o mal não existem, como pode Jeová ser mau?” O sujeito nem ao menos entendeu o meu argumento. Isso é para vocês terem uma noção da “inteligência” dessa gente que sai do nosso meio com pinta de intelectual. Quando eu descobri quem ele era, cancelei o debate.)

       Portanto, amados, não adianta pedirem para que os refutemos. Embora tenhamos a capacidade de facilmente humilhá-los em qualquer assunto teológico, e de fazer pior com eles do que fizemos com certos pastores, nós não faremos isso.

       Eu tenho conhecimento de apóstatas que passaram a crer na trindade, e também de apóstatas que continuaram a ser unitários, e de alguns que se tornaram até mesmo ateus. Mas VOCÊS ACHAM QUE ELES DEBATEM ENTRE ELES SOBRE SUAS DISCORDÂNCIAS? Não. O apóstata trinitário não debate com apóstata unitário. Ambos querem debater somente com quem é TJ. Sabem por que os apóstatas não brigam entre eles?

 

(Marcos 3:23-26) “Como Satanás pode expulsar a Satanás? Se um reino fica dividido contra si mesmo, esse reino não pode ficar de pé, e, se uma casa fica dividida contra si mesma, essa casa não poderá ficar de pé. Também, se Satanás se levantou contra si mesmo e ficou dividido, não pode ficar de pé, mas está chegando ao fim.”

 

       Assim, se os apóstatas, mesmo discordando entre eles próprios sobre vários pontos, não debatem entre si, por que nós faríamos isso?

       Por último, concluo este artigo por colocar a imagem que de alguém que já comprovou tudo o que foi dito aqui sem nem ao menos estar do nosso lado.

 

 

Deixe uma resposta

Escreva seu comentário
Por favor, entre com seu nome aqui